terça-feira, 2 de março de 2004

Fisiologismo

“O PT mudou para melhor, ao ampliar sua política de alianças, compreender a complexidade do país e ter um interlocução mais refinada com a sociedade. Creio que o partido não tem mais veto a ninguém e pode conversar com o PSDB e o PFL.”

Patrus Ananias, ontem no jornal Valor Econômico, p. A-5

O PT assume nas palavras do ministro do Desenvolvimento Social à marca que, depois das eleições, norteou toda política até o momento perpetrada pelo partido. Ao deixar de lado todas as propostas de mudança na data em que foi eleito, Lula e grande parte PT assumiu a marca de todos os partidos democráticos que até hoje passaram pelo poder: o fisiologismo.

O novo governo se comprometeu a mudar a política econômica, não mudou e acentuou a política econômica efetuada por FHC, como tanto primor que conseguiu a façanha que nem mesmo o ilustre e verborrágico FHC conseguiu, que é fazer o PIB brasileiro decrescer. Ao colocar um asno no BC e uma corja de estúpidos, e dizer aos quatro ventos que o tema central deste governo é a credibilidade junto aos investidores abdicou-se, já nos primeiros dias do governo, de qualquer perspectiva de transformação. Além disso, admitir que a finalidade do governo é o pagamento dos rentistas internacionais, da rapinagem financeira iniciada por FHC, admiti-se, também, que a finalidade básica do país é servir aos interesses de dito mercado financeiro internacional. Dito de forma mais clara, o Brasil diz, na figura infame de seu chefe de Estado, que não é o desenvolvimento, não é o crescimento econômico, não é investimento estrangeiro, mas sim e sempre o pagamento da dívida a finalidade básica. Não se preocupem abutres da dívida, os governantes desse país admitem: não temos soberania e vamos fazer de vocês mais ricos, sufocando a população do país com mais e mais impostos, destruindo o sistema produtivo com juros heréticos. Com Lula se consolidará um processo de desindustrialização que tem início com FHC. Retornaremos a um perfil de país abandonamos nos anos 40, com Vargas, de país agrário exportador, duramente superado em períodos politicamente mais autoritários.

A fala de Patrus Ananias vem a confirmar que o PT que aí está tinha como único objetivo subir ao poder para manter as coisas como estavam, só que com um detalhe importante, fazer deste país uma nação de miseráveis com mais competência que FHC e seus consortes, quais sejam, PFL, PSDB e PMDB. Fisiologismo infame de um partido que até então era de centro-esquerda, convidando o PFL e PSDB como aliados para as eleições municipais deste ano. Como é que pode uma infâmia dessas, chamar o PFL, uma quadrilha formalmente chamada de partido, ou o PSDB, o maior conjunto de entreguistas que esse país já viu?

Com isso o PT consegue cada vez mais solapar as bases de quem tinha alguma fé na possibilidade de transformação pelo voto democrático. Como é que pode um partido de centro-esquerda tentar juntar-se a um de direita, o PFL? Fisiologismo imundo do PT, que quer unir-se aos antigos detentores do poder político para melhor repartir os despojos do Estado, ou do que resta do Estado.

Assim, nós vamos, todos, assistir, no governo Lula, não ao espetáculo do desenvolvimento, mas sim ao infame espetáculo do subdesenvolvimento. A diferença de Lula e do PT em relação a todos os demais governantes que o Brasil teve, é submeter este país e seus eleitores ao maior ultraje já visto na história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário